18 de dez de 2009

Wall-E




Wall-E, 97 minutos, 2008, Animação.

Indicado a 6Academy Awards incluindo Melhor Roteiro Original e ganhador na categoria de Melhor Animação.



---------------------------------------------------------

Wall-E é um filme duplo. Para as crianças, é uma ótima animação, com algumas lições de morais, personagens extremamente carismáticos e uma estória divertida. Para os mais crescidos, além de ser uma obra-prima do cinema, é também um aviso, que em forma de animação ganhou mais força do que documentários como Uma Verdade Inconveniente.

No longa, temos um futuro onde a terra será inabitada por seres humanos, já que esses destruíram todos os recursos que ela poderia nos dar. Enquanto isso, os homens vivem em uma nave espacial gigante que viaja pelo espaço como um cruzeiro. Em contra partida, na Terra, há um robô da marca Wall-E que tenta, pelo menos, limpar toda a sujeira que ainda resta no Terra. É em uma de suas viagens para limpar a cidade, que Wall-E encontra uma planta e praticamente ao mesmo tempo, chega Eva, uma robô mandada para verificar se ainda há condições de sobrevivência no planeta e essa condição tem que ser achada em forma de um planta, o que significaria que o planeta conseguiu se “curar” de todos os males que sofreu por milhares de anos. A partir daí começa toda a aventura que foi bem conduzida até o final do filme.

No geral, o filme faz duras críticas ao nosso modo de viver. Há cenas que ficam marcadas pela forma simples como foram mostradas, mas que carregam grande conteúdo. Por exemplo, há uma seqüência que Wall-E passa em cima de dólares jogados no chão, mostrando que o dinheiro não é capaz de salvar tudo, logo em seguida, ele acha uma caixa com um anel, aparentemente caro e em vez de gostar do anel precioso, ele o joga fora e analisa o abrir e o fechar da caixinha. Há também o fato de que os humanos desaprenderam a andar porque são muito gordos, pois ficam o dia inteiro em cadeira comendo e sendo abastecidos por máquinas. No geral há criticas ao consumismo e ao sedentarismo.

O maior acerto do filme foi a construção dos personagens principais. Wall-E é romântico, tímido e vê em Eva uma companheira para a vida toda. Eva é inicialmente dura e arrogante, mas com o passar do tempo acaba vendo as qualidades de Wall-E e se apaixonando por ele também. Tudo é levado com leveza e até com uma certa dose de humor como a cena que ela leva ela para passear em lugar que imitaria Veneza.

Em premiações como o Oscar, os principais desafios de Wall-E foram os concorrentes de peso. Na categoria de Melhor Animação não tinha pra ninguém, mas mereceu todas as outras indicações que teve, como Melhor Canção Original e Melhor Roteiro Original. A trilha sonora composta por Peter Gabriel é incrível. A música Down to Earth é linda e tocante e quando filme acaba e os créditos começam com essa música, tive certeza que Wall-E é realmente um filme brilhante.

Renan
_________________________

Acho que chamá-lo de "obra-prima" é um pouco de exagero, mas - para a minha surpresa -  Wall-E se mostra como um eficiente filme, que entretém crianças e adultos e que, em suma, é capaz de nos mostrar uma excelente lição moral, além de enfatizar um dos maiores problemas pelos quais estamos passando: o aquecimento global e as consequências dele.

Ao vê-lo, esperava bem menos. Como tive que assistir dublado, minha vontade de desistir de conferi-lo foi imensa, mas, como sou persistente, resolvi ir até o final. Passados os primeiros dez minutos, eu descobri que não havia incômodo nenhum em assistir, uma vez que as falas não eram muitas. O que mais me chamou a atenção foi o fato de esse ser um filme áudio-visual que dá mais enfoque no visual: vemos um planeta inóspito, onde a única coisa que se mexe nem sequer é vida orgânica. De maneira excepcional, essa paisagem foi construída e logo no começo já nos impressionamos. Não há como não simpatizar com o robozinho desde o começo, afinal ele é o único a continuar trabalhando incessantemente quando poderia facilmente parar de fazer tudo o que faz. E, como se não bastasse o trabalho árduo do robô, ele ainda tem tempo para admirar obras do nosso cinema e colecionar pequenos objetos do nosso cotidiano.

A chegada de um segundo robô no primeiro ato do filme faz com que conheçamos a segunda personagem da obra. Eva, enviada à Terra para coletar informações e descobrir se há vida no planeta, torna-se a paixão platônica e aparentemente inalcançável de Wall-E. E é exatamente esse romance que dá sustentação ao clima do filme, que funciona muito bem quando o enfoque é o romance entre os personagens principais. Achei, no entanto, que embora seja importante - principalmente num roteiro como esse - dar ênfase na tentativa de voltar ao planeta, o filme perde um pouco do charme quando mostra demais os acontecimentos na nave e tudo aquilo que não seja o relacionamento entre Eva e Wall-E.

Filmes assim continuam não sendo o meu gênero favorito, mas eu devo dizer que simpatizei com Wall-E e certamente o recomendo a vocês, que querem se entreter com algo leve. Como disse - e insisto - não se trata de uma obra-prima. Um blog parceiro nosso indicou esse filme na sessão "Filmes Para Ver Antes de Morrer", que vocês podem ver clicando no link, mas eu realmente acho que Wall-E não seja um essencial. Interessante, comovente, talvez; nenhuma obra-prima, no entanto.

Luís

13 opiniões:

Fotograma Digital disse...

Luis depois te passo o número da conta pra depositar pela propaganda gratuita rsrs.

Pelo menos vc gostou cara, achei que vc não ia nem gostar do filme rsrs.

Eu gosto muito de animação porque eu não consigo ver a arte de uma forma mais pura do que na animação. Um artista consegue criar o que quiser com um lapis (hoje a maioria faz no pc, mas enfim) e se você consegue combinar isso a um bom roteiro é uma fórmula vencedora.

Gosto do Wall-E , por ser corajoso (é um filme da Disney não podemos tirar isso do foco) ao criticar diretamente o ser humano como sendo um vagabundo que não se mexe. Se viesse de um filme independente seria mais um, como é uma animação e da Disney... a coisa fica mais complicada.

João Bastos disse...

Digo apenas que é o mais belo filme de animação desde The Lion King. 5 estrelas...

Cristiano Contreiras disse...

Muito boa a resenha, deu pra sentir o contexto da animação.

Não conferi ainda, mas isso vai ser reparado daqui a uns dias.

Gosto de animações, mas não todas.

Ah, geralmente vejo dublado - as animações - pois acho mais coerente, não sei por que.

Ricardo Martins disse...

Acho que Wall-e pode ser considerado uma obra-prima! Pois é incrível como ele aborda os fatos possivelmente futuros e o modo de viver futurista mas também atual!

E o sucesso dele pode-se constatar como ele nos segura até o fim, com as imagens que falam mais do que mil palavras! Acho que ele desperta um pensamento de: "vamos cuidar de nossas sociedade e de nossas gerações futuras"

A cena que mais me "assustei" foi aquela em que os humanos não sabem mais andar!

Abraço e boa sugestão!

Charles disse...

aaah, pra mim é top 5 da Disney, e olha que sou fã de muitos filmes dela! sou apaixonado *-*

Matheus Pannebecker disse...

"WALL-E", pra mim, é o melhor desenho animado da década. Inclusive, acho que foi muito subestimado nas premiações - onde levou menos prêmios do que deveria.

Marcus disse...

Não gosto muito de filme de desenho, mas fico pensando como os caras conseguem fazer tão perfeito as coisas, realmente é imaginavel.

Leonardo Marques disse...

Apenas por trailer e cartazes eu também esperava pouco de Wall-e. Não tinha cara de Disney. Mas assisti para saber do que se tratava aquela animação indicada ao Oscar.
Me surpreendi totalmente. Em poucos minutos tava preso na histórinha do robozinho e seu amor Eva.
Resalva para o ultimo momento do filme, aquela hora que começa a passar as letrinhas, a ficha técnica do filme. Muito criativo. Atinge totalmente o obijetivo principal: entreter e passar uma mensagem.

Thiago Paulo disse...

Há eu gosto muito de Wall-E... Achei muito bem feito e com uma mensagem que muita gente tenta passar e não consegue. Os robozinhos são ecelentes personagens, e no caso deste filme, os humanos são apenas coadjuvantes.

Abraço!

Straight Edge Hardcore disse...

Eu imaginava que seria um saco assistir Wall-E depois q li que boa parte do filme não tinha dialogo mas o filme é um deleite visual e dá pra captar cada sentimento somente com as imagens que são um desbunde!!

abçs

http://rodzonline.blogspot.com/

Roberto F. A. Simões disse...

Também não se me revelou qualquer obra-prima, apesar da primeira parte ser verdadeiramente sublime.

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD - A Estrada do Cinema

Dewonny disse...

Sensacional animação da pixar, disparada a melhor do ano passado!
Concordo com quem disse q deveria ter ganho mais prêmios!
Abs! Diego!

Luís / Renan disse...

ALEXANDRE, gosto de desenhos, como os antigos das Disney. Não sou muito fã dessas coisas computadorizadas, não... Sobre a "propaganda gratuita", fiz porque o blogue de vocês é bom!

JOÃO BASTOS, eu prefiro O Rei Leão. Mas gostei também desse daí.

CRISTIANO, gosto de animações, mas como as antigas da Disney.

RICARDO, por mais catastrófico que seja o filme, não consigo pensar em "cuidar da nossa sociedade", ou do ambiente. É realmente bizarro pensar que o comodismo do futuro fará com que nem saibamos mais andar!

CHARLES, acho que no meu TOP 5 esse fica não entra.

MARCUS, gosto de desenhos animados, mas não de animações como essa. Esse foi uma das poucas exceções.

LEONARDO, gostei quando o filme se focou no relacionamento dos dois. Por mim, os humanos poderiam ter sido removidos da história sem deixá-la pior.

THIAGO, os humanos poderiam nem ter aparecido! Gostei muito do relacionamento de Wall-E e Eva.

STRAIGHT, o visual do filme é mesmo interessante. O seu roteiro, que inclusive concorreu ao Oscar, também é válido.

ROBERTO, que bom que concorda comigo. Deve ser o primeiro. Fico muito feliz!

DEWONNY, não duvido mesmo que tenha sido a melhor do ano passado.

Luís