12 de jun de 2010

Convite para um Homícidio

A Murder is Announced - Agatha Christie, 1950, 250 páginas. Romance policial.

__________________________________________________________

Não tenho dúvidas de que algumas pessoas nasceram para a literatura. Agatha Christie, sem sombras de dúvida, nasceu para escrever romances policiais com intrincadas situações que são belamente solucionadas no final pelos seus eficazes personagens Poirot ou Miss Jane Marple, sendo que essa é a participante desse livro. O que você faria se no jornal local fosse noticiado um convite para que todos os moradores do bairro apareçam em sua casa para participarem de um homicídio? É exatamente isso que acontece e, pensando tratar-se de um brincadeira, Letitia Blacklog recebe alguns de seus vizinhos em sua casa para o tal homicídio. O que era para ser uma brincadeira, no entanto, acaba com dois tiros disparados contra a dona da casa e também a morte do assaltante. s tentativas de assassinato, porém, não param…

É nesse rede de suspeitas que os personagens se encontram e se confrontam. A dúvida paira sobre todos e inclusive sobre os mais fortes, que insistem em permanecer calmos e inalterados. Nunca fui fã de Jane Marple, prefiro muito mais as células cinzentas de Poirot. A velhinha simpática, apesar de muito inteligente, parece sumir junto com os oturos personagens e, preconceito ou não, acho que ela não tem o perfil de velhas que se aventuram em crimes. Enfim, apesar disso, esse é um livro muito bom! Principalmente pelas reviravoltas que surgem conforme a estória vai se desenrolando e mais fatos são apresentados. Há a possível tentativa de matar Letty assim como a possibilidade de ela não ter sido o alvo; depois surge o fato de ela estar prestes a receber uma herança e mais tarde surge a história sobre os gêmeos que receberiam a herança caso Letty morresse. O mais vantajoso de ler esse livro é que ele realmente permite que o leitor treine as suas “capacidades detetivescas”, pois todas as informações contidas na história são fundamentais para o resultado final, sem que nada escape ou surjam furos.

O que há de mais esperto no livro é a forma como pequenos detalhes, que às vezes pensamos serem erros, são de grande importância para que cheguemos às conclusões finais de maneira eficaz. É claro que Agatha Christie não é o tipo de literatura a qual adultos se dedicam; eles preferem coisas mais “cultas”, mas eu ainda acho que Agatha é o tipo de autora que deixa o leitor mais inteligente e com uma visão mais ampla dos acontecimentos, de uma maneira geral. Aos que duvidam, sugiro que leiam esse livro. E vão descobrir que não reconhecer uma pessoa assim que a vê, pode ser perigoso. Tanto quanto receber visitas em casa, lubrificar portas, gostar de flores…

Eu recomendo totalmente esse livro para aqueles que gostam de aventuras policiais cheias de suspense e que estão preparados para se surpreender com o final de uma história que começa absurda e termina de maneira bem coerente.

Luís

2 opiniões:

Thiago Paulo disse...

Vou te contar um sebredo: Acredita que nunca li nada de Agatha Christie?! Sempre penso em pegar algum livro, mas são tantos que fico na dúvida, agora já por qual começar.

Anotado aqui.

Abraço!

Marcelo A. disse...

Caraca! Foi o primeiro livro da Agatha que li, emprestado por uma amiga da minha irmã, chamada Ana Paula... e acredita que ainda o tenho aqui? Pois é, não devolvi o livro... ou melhor, ele foi ficando, ficando... e ficou! Mas não é hábito meu... eu sempre devolvo aquilo que não me pertence! De qualquer modo, já me pertence por direito... eu devia ter uns onze anos quando o li!