30 de jan de 2010

Lua Nova


The Twilight Saga: New Moon, 130 minutos, 2009. Romance.
----------------------------------------------------------------------------

Lua Nova é baseado no livro homônimo e continuação de um dos maiores sucessos da atualidade: Crepúsculo (tanto na literatura, quanto no cinema e em todos os produtos que vendem a imagem dos protagonistas do filme ou qualquer idéia relacionada à saga). Lua Nova já era, desde o ano passado, um dos filmes mais esperados desse ano e teve uma ajuda, que foi a grande bilheteria de seu antecessor, o que tornou possível a produção de um filme milhões de vezes melhor que o primeiro e as notícias que há sobre a bilheteria, já apontam à segunda parte da estória como bem sucedida também.

O filme tem cara de filme de verdade (o que não acontecia com Crepúsculo, com sua imagem que aparentava a de filmes caseiros), mas ainda sim sofre com alguns aspectos. Vamos aos pontos positivos. A fotografia está muito boa com um toque dourado que dá a sensação de quente, sensação que parece ter ligação com a temperatura dos novos monstros que integram a série (repare que Crepúsculo tem uma fotografia azulada, sendo a cor azul, uma cor fria). Há também a maquiagem que ficou mais real com enfoque especial para os olhos dos vampiros. Os efeitos especiais, indispensáveis a essa parte da estória, também foram decentes embora nada de extraordinário. Há cenas que esses efeitos foram bem usados e tenho que citar a que Edward toma uma surra de Félix, um dos Volturi. A cena contem uma ação que inexistia até então, conquistando não só as garotinhas-que-amam-o-Edward-Cullen, mas qualquer um que goste de filmes em geral. Pessoalmente o melhor do filme foi a adaptação. Os primeiros minutos são idênticos ao livro e, de modo geral, o diretor Chris Weitz (e claro, a roteirista) conseguiu juntar tudo que há no livro de uma forma realmente boa.

No entanto, o maior problema de Lua Nova são as atuações. O lado masculino do triangulo amoroso é composto por Robert Pattinson que consegue dar o mínimo de vida (sem trocadilho) ao seu personagem que mesmo aparecendo pouco, de forma geral, se torna carismático; e Taylor Lautner como o bombado Jacob também faz relativamente bem seu papel, embora suas aparições pareçam uma campanha pró aos anabolizantes. Pois é, enquanto os dois se esforçam, há Kristen Stewart que parece ser incapaz de fechar a boca. Sua atuação é tão triste que é daquele tipo que faz o publico sentir vergonha alheia. Sua interpretação é a mesma quando está feliz, quando está triste, quando está longe ou perto de seu amado e assim por diante. No geral, até Ashley Greene que interpreta Alice Cullen se sai melhor do que a protagonista Bella.

Pondo tudo na balança, Lua Nova é certamente um filme que vale a pena ser visto, principalmente quando comparado com Crepúsculo (que de melhor só tem a trilha sonora).

Renan
__________________________________

Não sei exatamente o que o Renan viu de tão interesante em Lua Nova, mas, para mim, esse filme continua tão tosco quanto o que o antecedeu, mesmo que haja neles qualidades que no outro não existia. Decerto, podemos atribuir ao orçamento mais largo a melhoria do aspecto técnico do filme que sucedeu o primeiro - Crepúsculo. Infelizmente, nem tudo é "efeito especial", logo a quantia mais generosa de verba não faz com que esse filme funcione muito bem.

O grande problema não está na câmera utilizada para filme. O defeito se concentra basicamente na direção do filme. Parece que nem Catherine Hardwicke nem Chris Weitz foram capazes de compreender certos detalhes a respeito da história. Por exemplo, ambos compreendem que a personagem Bella é uma múmia - assim fazem-na ficar sem expressão e estática durante o filme todo. Weitz repetiu o mesmo erro que Hardwicke cometeu: exigiu pouco dos atores. Dessa maneira, tanto direção quanto atuação funciona no módulo automático, sem esforços, sem densidade e, consequentemente, sem um resultado que seja positivo. Com ressalvas, penso que o problema da atuação se deve àquilo que não é exigido dos atores - a exceção fica por conta de Robert Pattison, que é ruim mesmo e ainda atrapalha os outros. Algo de que não gostei foi a tentativa de inserir Pattison em todo momento da trama. Ainda que a Bella do livro seja dengosa em relação à paixonite crônica que sente por Edward, não há tantos momentos em que ela fica enxergando o vulto do vampiro. Kristen Stewart tem uma sutil melhora na sua capacidade de atuação quando se encontra atuando com os músculos abdominais de Taylor Lautner, que não é nenhum grande ator, mas que realmente é mais eficiente do que Pattinson.

Devo admitir que a adaptação do livro realmente foi boa. Poderiam ter feito omissões inadequadas a respeito de passagens importantes da obra literária ou poderia acrescentar acontecimentos não presentes no livro, no entanto, optaram por apenas transcrever das páginas para as telas com o mínimo de mudanças possível. A trilha sonora continua eficiente, tal como no primeiro filme. Uma fato me chamou bastante a atenção: muitos leitores reclamaram de que certos atores não eram boas escolhas para as personagens que interpretam, como é o casod e Dakota Fanning. Contudo, a participação dos personagens coadjuvantes é brevíssimas... Fannig, por exemplo, não deve ter mais do que dois minutos em cena. Alguns talvez achem que eu exagero ao reclamar da direção, mas basta ver uma das primeiras cenas para compreender a incapacidade do diretor de observar erros. Bella encontra-se diante de um espelho, que lhe mostra refletida anos mais velha. A expressão das duas atrizes, porém, é completamente diferente, ficando claro que o espelho não somente mostra a evolução no tempo como também dá personalidade ao reflexo... uma cena bem infame.

Honestamente, não acho que Lua Nova seja um filme bom. Acho que poderia considerá-lo entre irregular e mediano - chamá-lo assim, no entanto, é enxergá-lo com muita generosidade. Comparado a Crepúsculo, é apenas melhor nos aspectos técnicos, mas o entretenimento é o mesmo, o que prova que o diferencial não é a quantia liberada para efeitos especiais. Aproveito também para comentar que os lobos criados digitalmente têm maior expressividade facial do que os atores... a tecnologia é mesmo impressionante. Acho que a solução para o problema seria chamar outro diretor, que dê um up na história e que a tire desse marasmo morrinhento. Tarantino ou Spielberg, talvez...

Luís

8 opiniões:

susana disse...

Concordo plenamente que a interpretação da Bella, foi muito má! Principalmente na parte, em que ele lhe diz que a vai deixar!
Também concordo que a fotografia e os efeitos especiais estaVAM MUITO MELHORES.
Engraçado que gostei mais do Crepúsculo, a nível de argumento e mesmo de interpretação!E sinceramente, acho esses dois itens, os mais importantes num filme!
Aliás no fim da exibição do Lua Nova, ouvi os seguintes comentários:
-E vim eu gastar 5 euros, para ouvir o gajo pedi-la em casamento!!!
Achei o final dispensável...querem transformar uma saga de vampiros em história da Cinderela?
Mesmo assim gostei de ver o filme!

Levi Ventura disse...

Que maldade Luis!
Ok, ok. O filme continua sendo ruim, mas está melhor que o primeiro.
Não consigo de jeito nenhum engolir a Kristen e como o Renan falou, a Ashley Greene se sai realmente melhor.

Caio Coletti disse...

Cara, eu não considero "Lua Nova" um filme melhor ou pior que "Crepúsculo". É apenas diferente, como diria certa escola de samba carioca.

Chris Weitz tem habilidades diversas daquelas de Hardwicke na direção, e considero a performance de ambos atrás das câmeras boa, apesar de nunca espetacular. A Hardwicke trouxe ao filme uma estética mais fria, como disse bem o Renan, que combinou bem com a história e com as situações que ela exigia. O fato da imagem ter sido estetizada para parecer granulada não tem nada a ver com filmes amadores, diga-se de passagem. Ao contrário, porém, Weitz tem uma visão mais épica, grandiosa, de todos os eventos que acontecem nessa trama. Isso serve bem aos momentos de tensão e ação do filme, mas denigre a maioria dos relacionamentos dos personagens, que de fato são interessantes no livro, para mero pretexto para puro e simples entretenimento blockbusteriano. Ambos tem seus prós e contras.

E acho que Robert Pattinson é sim um bom ator, se quer saber. Nesse ele não teve a oportunidade de demonstrar isso, mas em "Crepúsculo" eu sinceramente achei que a interpretação dele era a melhor. E Kristen Stewart chega lá, quem sabe no último filme ela entrega uma interpretação decente. Do anterior para esse teve sim uma sutil melhora. E, vocês já disseram sensatamente, Taylor Lautner não é nenhum grande ator, mas funciona melhor com Kristen do que o Pattinson, talvez porque a atuação dos dois esteja no mesmo nível ou algo do tipo.

Abraço! :D

cicolinha disse...

realmente...o filme deve agradar muito o público de até 12 anos! hahaha mas os atoresssss são umas desgraças!

eu gosto do Lautner..acho que comparado com o casal protagonista ele dá um show de interpretação...

e realmente, a cena do espelho é digna de lágrimas de decepção! hahaha

Carly disse...

Olha Povo!
A saga crepúsculo é a melhor
se vocês não gostam não precisam estar por ai falando mal do atores.
E a vocês que amam um supeer parabens
porque vocês tem cerébro e sabem o que é bom!Eu AmoO Twilight é super
maiiis que PERFEITO! E quem não gosta
eu lamento por serem tão..tão..desinformados.

Leonardo Marques disse...

A Carly ^ ficou nervosa. Caaalma! Estamos apenas analisando o filme, talvez o 3º seja bom.
Mas falando em Lua Nova, se comparado com Crépusculo acho que foi uma evolução sim. Se contar em qualidade. Sobre os atores: Kristen Stewart não é atriz para ser mocinha, ela se sá bem com papeis de adolescente rebelde. Exemplo em Os Mensageiros e o novo filme The Runaways. Nunca achei Robert Pattinson um grande ator. E em Crepusculo ele provou isso. Passa a maior parte do longa com cara de sofrimento. Taylor Lautner temos que dar um desconto, ele passou de menino-tubarão para lobo musculoso. Evoluiu um pouco.
A parte mais interessante fica por conta dos Volturi. Nos livros vemos uma Bella bem humorada e desestrada, que não se vê nos filmes.
Mas a revelação sem dúvida foi Ashley Greene.
Pra mim Lua Nova não passa de mais uma modinha assim como foi Harry Potter no inicio.

Flávio Gonçalves disse...

A solução é uma: terminar com a saga, que é o que de pior representa no lixo comercial teen. Chamar Spielberg para o realizador seria um atentado para a sua carreira porque com uma história tão banal, tão infrutífera e terrível não há grande volta a dar.

Já agora, boa sorte para o mês dedicado a Haneke! :)

Abraço e voltarei!

Débora disse...

Eu, que não considerei o primeiro filme da série crepúsculo bom, o considero melhor que o segundo, com certeza!
Pelo amor de deus, eu não estou falando que a atuação dos personagens esteve melhor neste ou naquele filme (embora os músculos do ator Taylor Lautner tenham dado um certo charme a trama, os demais atores considerando-se vampiros, prtanto mortos, agiram como tais, principalente K.S. que interpreta Bella).
Que fique claro: eu gosto da série crepusculo, li/tenho todos os livros,mas, desisti totalmente dos filmes com a última adaptação para o cinema, que me deixou tão enjoada e decepcionada que tive ímpetos de sair no meio da exibição.
Pela atuação medícre, não sei se podemos culpar os atores, pois, com exeção de K.S. os demais mostraram-se bons em outros filmes. Penso portanto que o culpado pelo fracasso total do filme tenha sido o diretor

...Sugestão: Luís, porque você não colocou no final do post a reação daquela fã norte americana ao ver, pela primeira vez o trailer de Lua nova? :|:|:|