16 de jan de 2010

O Visitante


The Visitor. EUA, 2008, 103 minutos. Drama.
Indicado ao Academy Award de Melhor Ator (Richard Jerkins)
__________________________________________________

Eu e o Renan desejamos ver esse filme pelo simples fato de que havia sido indicado ao Oscar do ano passado e que nós dois tínhamos combinado - e temos cumprido - de analisar seis categorias, dentre elas a que esse filme concorreu: Melhor Ator. No entanto, tivemos grandes problemas para encontrá-lo, afinal nenhuma das locadoras em que procuramos o tinham no catálogo. De repente, quando já estávamos sem expectativas, encontramo-lo ao acaso - o que é bom.

Walter é um professor universitário sem muito propósito na vida. Embora esteja lecionando para apenas um classe e escrevendo seu quarto livro, Walter não vê felicidade no seu cotidiano. Um dia, ele precisa ir a Nova Iorque para apresentar um trabalho que fez em parceria com uma professora da mesma universidade eo entrar no seu apartamento, descobre que ele foi alugado sem seu consentimento a um casal, que, após sua chegada, não tem para onde ir. Ao aceitar que o casal permaneça enquanto não encontram para onde ir, a vida de Walter começa a mudar quando ele se apega a Tarek e Zanaib e volta a se sentir bem, como há muito não se sentia.

O Visitante é um filme um pouco complicado: a história é bastante simples, com um roteiro bastante linear, que facilmente conduz o espectador aos dramas dos personagens. As interpretações são igualmente simples e também muito boas. Mas não me senti totalmente dentro da história do filme. É como se eu estivesse apenas o vendo, sem conseguir fazer parte dos conflitos dos personagens. Gostaria até de fazer um comentário sobre isso. Esses dias mesmo li no blog do Matheus, Cinema e Argumento, um debate sobre a relação personagem x ator. E a mesma situação pode ser aplicada nesse filme: Walter, por exemplo, o personagem de Richard Jerkins, é muito maior do que a interpretação do ator. Ele faz bem, mas a essência do personagem é ainda maior do que ele mostra. Isso nos distancia daquilo pelo que passa Walter? Não, de forma alguma. Mas senti claramente o quão grande o personagem é e compreendi que aquela atuação foi a mais próxima que o ator conseguiu compor. E é exatamente isso que acontece com Mouna Khalil e Hiam Abbass, respectivamente personagem e intérprete. A primeira é grandiosa; a segunda, correta. Tarek e Zanaiab, os outros personagens, são interessante, mas não há muito espaço para eles em cena. Ainda assim, mostram ótimos perfis no pouco tempo em que aparecem.

Como eu disse, o roteiro é simples e linear. Acompanhamos com facilidade os eventos do filme e não tenho do que reclamar a respeito disso. Com eficácia, vemos a surpresa do encontro entre os personagens, a aproximação entre eles, a dramatização decorrente da prisão de Tarek e, sobretudo, a transformação pela qual Walter passa. Num ritmo lento a princípio e mais acelerado - e muito mais interessante! - no final e por isso o meu conceito a respeito dessa obra foi subindo conforme o final se aproximava. Certamente esse é um filme de pouco destaque comercial, uma vez que não atinge o grande público, que está voltado para filmes mais conhecidos e com mais fatores atrativos. Como eu disse acima, nem mesmo eu - que sou mesmo fã de dramas - consegui me identificar totalmente. Talvez pela maneira difícil usada para aproximar situações e espectadores.

De um modo geral, acredito que O Visitante pode ser visto e acredito realmente que tinha tudo para ser um grande filme. Ótimos personagens, boas interpretações - principalmente a daquele que foi indicado -, mas o filme não brilha tanto. Torna-se interessante, pouco mais do que mediano e entretém razoavelmente o espectador. Depois de vê-lo, confesso que gostaria de ver essa mesma história sendo contada de outra maneira, tão cintilante quanto merece.

Luís
_________________

8 opiniões:

Tobias Cavichioli disse...

Estamos de volta por aqui! =)
Bom, não assisti o visitante ainda por falta de tempo...mas pretendo o quanto antes!

Como estão as coisas LuEs? Pronto para o PodCast? Voltando de férias agora, vou tentar entrar em ritmo de novo....

Abraços doc ...aliás, não tenho mais orkut .... vamos que entrar em contato por e-mail mesmo..

abração!

bruno knott disse...

tambem acho que faltou alguma coisa para o filme BRILHAR, mas não posso negar que é um excelente trabalho.

e o richard jenkins mostra que é um excelente ator.

Ciro Hamen disse...

Achei este filme excelente. Quase tão bom quanto o Agente da Estação - mas esse ainda é melhor.

Abraços!

Thiago Paulo disse...

Eu também achei excelente, gostei muito dos personagens e da história. Acho que precisa ser assim mesmo, simples.

Abraço...

Marcelo Augusto Cetreus disse...

Luis e Renan!

Finalmente voltei das minhas férias de verão. Desculpa por não ter os avisado, mas foi porque minha vida balançou muito no final do ano, muita correria.

Enfim, quanto a sua postagem, acredito que entendo perfeitamente esse distanciamento entre a trama e o telespectador, uma falta de contato, talvez pouco carisma. Aconteceu a mesma coisa em relação a Melinda e Melinda, que eu achei basicament o que foi dito aqui, bem feito e bem suave, mas não consegui me entregar para a história. Mesmo assim, me senti tentado a ver o Visitante.

Acabei de oficializar a idéia do Clube do Filme, aquela propsta que já tinha feito antes. Convidei voces para formar comigo e mais 3 pessoas o corpo administrativo, aquele grupo de pessoas que leram os debates e farão um texto para publicação.
Caso aceitem o convite, me sentirewi honrado.

Enfim, citei vocês na última postagem. Abraços e estou de volta!

Cleber disse...

Achei esse filme tão simples ... e que me perdoem quem acha, mas o Richard está normal, nada exorbitante!

Tiago Ramos disse...

O Visitante é despretensioso, simplista e básico. Mas ao mesmo tempo apresenta um argumento consistente e coerente, a um ritmo agradável, à base de temáticas ricas, interessantes e introspectivas, num ensaio sobre o melting pot e o drama da imigração.

Luís / Renan disse...

TOBIAS: Isso, assista quando tiver tempo.

BRUNO: Também acho que faltou algumas coisas para brilhar, mas o longa é satisfatório.

CIRO: Não assiti Agente da Estação, mas acho que "excelente" é um pouco demais pra esse filme.

THIAGO: Gosto de enredos simples, mas acho que em O Visitante faltou alguma coisa para torna-lo bom de verdade.

MARCELO: Disse bem, falta carisma e usaria o mesmo exemplo: Melinda e Melinda. Obrigado pelos convites!

CLEBER: Concordo com você. Richard está correto ali, nada demais.

TIAGO: O drama da imigração é bem mostrado mesmo, mas talvez seja só isso. Para mim, é um filme regular.

Renan