26 de nov de 2009

Dissecando Stephen King

Conversations on Terror with Stephen King. EUA, 1990, 265 páginas (editora Francisco Alves).
__________________________________________

Passando entre as patreleiras da biblioteca, vi esse livro. Somente pelo título, gostei bastante. "Dissecando" sugere uma análise profunda do autor, o que me agrada bastante, uma vez que Stephen King é um dos meus autores preferidos e desta vez eu leria uma obra sobre ele e não feita por ele. Lê-lo também foi importante para elaborar o perfil do autor, que pode ser lido aqui.

O livro na verdade não é uma análise sobre SK, mas sim uma coleção de entrevistas que o autor concedeu a várias revistas ao longo de vários anos. Tim Underwood e Chuck Miller resolveram colocar num único livro as perguntas às quais King já respondeu. O mais interessante é que temos o conhecimento das opiniões do autor pelas próprias palavras dele e vários assuntos são abordados ao longo de cada entrevista, desde os sentimentos que ele tem quanto a escrever e até mesmo o que o fazia ter medo quando criança.

Devido à liberdade com que se expressa, muitos trechos são realmente divertidos. King conta, pro exemplo, que uma vez viu uma senhora lendo Carrie, A Estranha num avião. Ela foi a primeira pessoa que ele viu lendo um livro seu e, ao perguntar o que ela achava do livro, surpreendeu-se com a resposta: "Uma porcaria! Nunca li um livro tão ruim na minha vida!". E pouco antes ele pensara em se apresentar como autor do livro e, se precisasse, até mesmo mostrar a identidade para que ela acreditasse! King tem uma visão muito sóbria das suas obras; nem mesmo suas grandes obras são motivos de orgulho excessivo e ele as trata como livros comuns, narrativas detalhadas sobre um determinado tema. Algumas respostas nos reveleam curiosidades interessantes, como o fato de o autor pensar que O Cemitério Maldito - o meu preferido - seja o livro mais dramático quanto ao terror que ele expressa. Também é revelado que muitos livros tiveram que ser modificados e suavizados, pois os editores pensavam que seria mal recebidos pelo público se mostrassem aquele tanto de violência. Hoje sabemos que, se King escrever estórias extremamente violentas, continuará vendendo tanto quanto se escrevesse romances que nada tem a ver com horror.

Particularmente, as perguntas que mais me interessaram foram aquelas que se referem às opiniões de King a respeito de seus livros que foram adaptados. O resultado final de O Iluminado realmente não agradou o escritor, embora ele tente ser bastante sutil em relação a maneira como expressa o seu desagrado. Devo concordar totalmente com ele quanto ao pensamento sobre a adaptação, que está bem longe de ser uma boa adaptação, embora seja um excelente filme. Ao longo das entrevistas, há sugestões de que King poderia vir a atuar como diretor ou escrever roteiros especialmente para filmes e não escrever livros para ser adaptados. O fato é que King anos depois finalmente dirigiria um filme e criaria uma história diretamente para um filme, para exemplificar, posso citar Caminhões (Trucks, no original) e A Tempestade do Século.

Os fãs do autor têm que ler o livro, para conhecer um pouco das opiniões do autor ditas por ele mesmo. A coletânea é realmente interessante e nos mostra bastantes coisas a respeito desse autor, que é um dos mais vendidos atualmente. Comparado a grandes nomes da literatura do horror, com Edgar Allan Poe e Lovercraft, King é um autor que merece ser lido! Sugiro, portanto, que leiam esse livro e que se deliciem com as várias entrevistas - algumas delas contam com Peter Straub, escritor que é amigo de Stephen King e que inclusive já escreveu um romance chamado O Talismã junto com o autor. Totalmente recomendável.

Luís

24 opiniões:

ana disse...

percebi como funciona: atualizam todo dia par a meia-noite. Muito metodicos, hein..

eu nao gosto de stephen king, pq ele nao consegue escrever nada que seja bom.. sempre historinhas de fantasma, gente morta, vampiro.
fiquei louca quando descobri que christine é um livro dele, deve ser ruim nas paginas e nas telas
ele é fantasioso demais e nao tem coerencia nenhuma nas historias deles.. onde ja se viu um hotel enloquecer alguem? ou um carro vivo? um cachorro feito de ferro? e casa mal assombrada ja nao assusta mais ninguem

o renan nao leu o livro?

Tobias Cavichioli disse...

Paulo Coelho que é bom! Né?
Meu Deus, a fantasia que faz de Stephen King genial, eleito um dos melhores escritores do século XX. O que você leu dele? Parece que sua opinião é tão superficial quanto a do cinema, no post anterior.
Louca obsessão, The Mist e sem contar a obra-prima: O iluminado.
Como não tem coerência nas histórias? Aposto que você só acompanhou os filmes dele, que realmente não fazem jus aos livros. São tramas de terror psicológico, que exploram nossos mais profundos medos de modo fantasioso e impossível.
Cemitério maldito é o mais expressivo, para os leigos como ti é também o mais fácil de visualizar isso. Nosso medo da morte retratado através de um cemitério de animais de estimação, onde lá se é capaz de ressucitar qualquer coisa morta. Mas para isso existe um preço.

Tobias Cavichioli disse...

Um hotel enloquecer alguém? CARACA! Não tinha me tocado nisso... Você nem se quer prestou atenção no filme... Não tem nada haver com o hotel ..existe uma doença, causada pela reclusão... um estado clinico, onde a pessoa exilada pela neve, passa a ter delirios, paranoia, raiva ... enfim, enloquece totalmente... isso é O iluminado ...

Meu deus, você só gosta da realidade né .. Robôs gigantes, como transformers, deve ser um absurdo para você também?

Fotograma Digital disse...

Apenas um comentário sobre o que a Ana disse... o cara é um autor de suspense/horror , logo suas histórias quase sempre são assim, lidando com o obscuro, sobrenatural e afins. 99% dos autores de terror falam sobre os mesmos temas, então chego a conclusão que sua praia não é o terror/suspense. Embora ele também tenha escrito Um Sonho de Liberdade, The Green Mile (fugiu o nome em português rsrs) e Conta Comigo que não são de terror. Todos adaptados e sucesso.

Sobre o livro em si: fiquei interessado em ler, porque é sempre interessante ler o autor dissecando seus próprios trabalhos.

Cristiano Contreiras disse...

Eu adoro Stephen King, acho-o totalmente criativo e muitos autores, hoje em dia, bebem descaradamente de sua fonte. Obviamente, ele concretizou tendências literárias e até cinematográfica - sim, King trouxe e proporcionou muita coisa boa pro mundo do Cinema. A Sétima Arte há de agradecer, um dia.

Bom, eu já li alguns livros dele, esse ainda não, mas me parece bem interessante.

Gosto muito dos livros "Saco de Ossos", "Angústia - Misery"(que, por sinal, o filme adaptado é maravilhoso!!!), "A coisa" e "O Iluminado".

Falar da adaptação do O Iluminado nem preciso, já comentei no meu blog, mas só digo: acreditem se quiser, eu adorei a forma como Kubrick "mexeu" na obra de King, achei até melhor, mas reconheço que a obra foi deveras modificada, bastante até. Mas, como você mesmo disse aí no bom post, o filme é muito bom também e tem méritos, assim como o livro.

Já o cinema rendeu frutos perfeitinhos: À ESPERA DE UM MILAGRE é pura supremacia! Um sonho de liberdade, Conta Comigo, Louca Obsessão(Misery) e, claro, A Tempestade do século(meu predileto!) são filmes primorosos!

Já vi vários, ficaria aqui só citando, falando, é um autor que prezo muito e sentirei falta quando ele parar de escrever...

Abraço!

Bruno disse...

"eu nao gosto de stephen king, pq ele nao consegue escrever nada que seja bom.."

Essa é uma das coisas mais ridículas que eu já li!

"ele é fantasioso demais e nao tem coerencia nenhuma nas historias deles.. onde ja se viu um hotel enloquecer alguem? ou um carro vivo? um cachorro feito de ferro? e casa mal assombrada ja nao assusta mais ninguem"

Fantasioso demais? Os livros, em geral, servem pra que então?!?

Pra falar isso, provavelmente não deve ter lido nada dele, apenas visto as adaptações dos filmes que, no geral, são muito fracas... e pela referencia só viu O Iluminado, Cristine e Cujo...

Se for seguir nessa mesma linha de pensamento sua, nenhum livro presta então, Allan Poe é louco de escrever um livro sobre um macaco que é assassino, Tolkien não tem criatividade por criar um Anel que pode destruir a Terra, Julio Verne um estúpido ao descrever como seria o centro da Terra, entre outro.

Conheça suas obras antes de falar alguma coisa.

E por curiosidade, qual seu tipo de leitura favorita? Capricho? Crepúsculo? É o que parece.

Agora comentando sobre o livro: Já tinh visto antes, e cheguei a ler uns pedaços esmo num sebo certa vez, pois não dava tempo de le todo e nem tinha dinheiro pra comprá-lo, mas pelos pedaços que li, da pra perceber sua humildade em relação aos livros e que muita coisa do que ele pensa pode ser visto em suas personagens.

Manoel Leonam disse...

boa dica

cicolinha disse...

Sabe, gostaria de saber pq a pessoa entra no blog e lê os posts, se não gosta de nada...não gosta de livros, de cinema...
Mas enfim, SK está na minha lista de melhores escritores, e vai ser difícil alguém algum dia atingir o nível dele.

Até mesmo a Stephanie Meyer ;p

ana disse...

luis, eu me enganei mesmo, eu fui procurar e o filme que eu vi nao tem nada a ver com sk.. o dele é cujo, do cachorro com raiva, que é ruim tbm

agora o que é esse comentario infeliz do bruno? voce acha que eu nao posso ter a minha propria opinião é? todo mundo tem que pensar igual a voce?
eu nao gosto mesmo de stephen king e nao mudo nada do que eu disse, so quero acrescentar algumas coisas nas bobagens que voce disse: pra um livro ser bom, não precisa ser totalmente real, mas tem que ser embasado em algo real pelo menos.. quantas vezes voce ja viu um cemiterio que ressucita pessoas? so se na cidade onde voce mora tiver coisas assim e sair todo dia nas manchetes dos jornais "hoje, pela manhã, oito mortos voltaram para suas casas depois de oito horas enterrados".
bons sao os livros que mostram a reliadade de alguma forma e por isso eu gosto de titulos como a cidade do sol e alguns romances policiais em que os assassinos sao de carne e osso, nao fantasmas toscos em que ninguem acredita

e meu comentario nao é superficial como do cinema, voce que nao entende de cinema, tobias
eu escrevi no outro post e voce nem respondeu, porque nem devia ter mais argumentos
overlook é uma doença, então? se o hotel for uma doença, minha casa e a sua também são? pode ter metafora pra dizer que o cara ficou louco pelo confinamento, mas definitivamente aquele hotel tem espiritos dentro e foi tudo isso que deixou o jack torrence louco
e acho que voce falou do paulo coelho, mas nem deve ter lido nada dele.. deve ter usado como argumento so porque todo mundo fala mal dele. eu li dois livros dele e gostei de um, o outro é muito tontinho, mas ainda assim é emlhor do que ficar escrevendo sobre coisas que nao tem nada a ver, como o stephen king faz

acho que voces dois, bruno e tobias, precisam rever seus conceitos

Bruno disse...

Desculpe o barraco Luis, você deve estar adorando haha.

Ana, eu não vou nem comentar sobre sua resposta, pois poderia ficar aqui horas e horas digitando que ela não teria fim.

Se você gosta de literatura baseada em algo real, vá ler livro de auto ajuda.

E quanto ao que falou sobre Paulo Coelho, ficou claro a sua falta de conhecimento. Leu 2 livros e já acha que pode ter uma opinião sobre toda a carreira dele.

Seria muito mais humilde da sua parte reconhecer que não conhece as obras do que ficar falando asneiras sem sentido.

Maldita inclusão digital.

ana disse...

bruno, eu nao posso ter uma opiniao porque li dois livros em vez de trezentos, é isso? so posso gostar ou nao gostar de um escritor se eu tiver lido todos os livros que ele publicou? e desde quando auto-ajuda é algo real? aquilo tudo é mais ficticio do que livros de horror

nao acho mesmo que tenha que ser assim e nao vejo porque eu nao deva dizer o que penso, porque é exatamente isso que eu acho
e eu nao sou preconceituosa como voce.. acho que todo mundo deveria ter acesso a internet e que todos devem se expressar

alias, eu vou dar uma olhadinha no seu blog, ver como é.. aposto que voce so comenta la as coisas que voce gostou e ainda com esse tom de ditador que voce gosta de usar

luis e renan, eu gostei muito do blog do voces e to ate inspirada pra fazer um parecido, vou ter voces como exemplo
mas ta dificil vir aqui.. todo mundo fica conspirando pra falar mal de mim

Tobias Cavichioli disse...

Ana, eu não te respondi no post anterior porque to cansando de perder meu tempo com alguém tão ignorante. Burrice me irrita.
Sem mais.
E não vou tornar a te responder, porque já até cansei de ler seus comentários.
Bruno divirta-se com ela ai.

Bruno disse...

Ana,

A questão não é que você não possa ter opinião, mas tenha argumentos para defendê-la.

Parece criança com birra rsrs.

Ao contrário, por exemplo, do próprio blog, que tem opiniões do Luis ou do Renan que as vezes alguns não concordam (vide Sean Penn) mas que eles tem base pra falar.

O pior cego é aquele que não quer enxergar.

Jean disse...

Confesso que nunca li um livro de Stephen King, no entanto assisti algumas de suas obras nos cinemas. Sempre acho livro melhor do que a adaptação para as telas e tenho certeza que neste caso não é diferente . Porém, se eu que assisti apenas os filmes já adorei, imagina quando eu ler os livros?? Vou me apaixonar!!

E realmente me surpreendeu saber que "À Espera de um Milagre" é de Stephen. E um dos filmes que gostei bastante - apesar de eu ter visto muitas críticas nada positivas - foi "O Nevoeiro", achei uma história envolvente e com um final espetacular!

E o livro que foi comentado aqui, chamou bastante a minha atenção. Ainda irei conferir!

Um forte abraço!!

Fotograma Digital disse...

Rapazzzz , deu uma enooorme polêmica isso aqui hein rsrs ?

Não vou mais estender a discussão, mas só acho que "ficção baseada em realidade" é o que King faz de melhor. Todos os seus livros/filmes se passam em cidades reais, com pessoas reais que de alguma forma se envolvem em situações sobrenaturais.

E eu SABIA que o Bruno ia ficar enfurecido rsrsrs.

cicolinha disse...

barraco EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE!



(será que vão me linchar? eu acho tãoooo divertido!)

Marcelo Augusto Cetreus disse...

Preciso ler este livro, então! Adorei a dica, quero ver o que ele achou da sua produção tempestade do século, rs! hm, eu preciso ver aonde vende! quanto é?

abraços, OTIMO blog!

Marcelo Augusto Cetreus disse...

Voltei aqui para ver se haviam me respondido e li toda a polemica gerada. O que eu penso sobre isso? Francamente Ana, te falta um pouco de tato. O que gerou a polemica aqui foi nem a sua opinião, mas a forma ignorante com que se expressou. Nada contra sua opinião, apesar de adorar SK. Mas se você realmente pretende ter um blog, precisa ter um pouco de sensibilidade, e aprender que quando desgostamos de algo,temos que respeitar a quem gosta e agir bem ao falar da obra. Sem mais, Marcelo

Ricardo Martins disse...

Super interessante! Uma visão do autor pelo próprio! E com certeza um material rico de história, já que une entrevistas de diversos anos em um só único material!
Achei hilário esta situação do avião dita por ela sobre a senhora lendo Carrie, A Estranha! Imagino como sem graça ele ou ela ficaria se ele tivesse dito-a que era o autor!!!

Material essencial para um fã do escritor mesmo!!!

ABRAÇO

Paulo [ALT] disse...

Preciso confessar: se eu comprasse um livro com esse título e descobrisse que se trata apenas de compilações de entrevistas, mesmo que estas sejam interessantes e contribuam mesmo pra vc entender um pouco do SK, acharia meio sacanagem o título, entende? mas ainda assim iria ler.

Sobre o Iluminado, vi a pequena discussão ai nos comentários. Ainda não li, só aprecio e muito o filme do Kubrick.

SK é o cara.
Gosto dos livros do filho dele tb, A Estrada da Noite, já leu? Só não curti muito a coleção de contos Fantasmas do Séc. XX

Vcs atualizam o blog bastante né, agora que percebi isso.

Abraço

Dewonny disse...

Adoro os filmes baseados em obras de Stephen King, o kra é gênio, um dos melhores escritores do mundo..
Abs! Diego!

Luís / Renan disse...

ANA, permita-me discordar absolutamente de você. Se você dissesse que nem todas as obras de SK são boas, eu teria entendido e lhe daria razão. No entanto, tornam sua opinião uma verdade absoluta não fez jus a nenhum argumento. Stephen King escreve sobre uma temática que requer um pouco de fantasia, assim como diversos outros escritores, logo, ele seria incoerente se só escrevesse coisas do cotidiano. No seu comentário, você citou "um cachorro feito de ferro", mas o livro de SK que envolve um cachorro nada tem a ver com ferro. Acho que você confundiu com um outro filme, chamado Rotweiller, no qual o personagem central - o cão - tem o esqueleto metálico. Então, o Renan não leu o livro... ele não é tão fã de SK como eu sou.

BRUNO, se leu minha resposta à Ana, deve ter percebido que concordo com você. Sobre o livro, vale a pena lê-lo, pois é realmente interessante.

TOBIAS, não sei se você percebeu, mas os seus comentários apareceram aqui em ordem invertida; o primeiro apareceu depois, não sei por quê. Acredito que os acontecimentos do livro não estejam associados unicamente à doença. Penso que um motivo pelo qual tudo acontece é também do culpa do hotel, extremamente personificado ao longo da obra. Robôs gigantes, para mim, são péssimos.

ALEXANDRE, acredito que seja possível que ela desconheça os livros que você citou. Poucas são as pessoas que sabem que A Milha Verde (À Espera de um Milagre) é de Stephen King; quando descobrem, assustam-se, pois o conhecem apenas por compor livros de terror. Vale ressaltar que As Quatro Estações é um livro que não envolve terror e, na minha opinião, é um dos mais densos, com os contos Redenção de Shawshank e Rita Hayworth (Um Sonho de Liberdade), O Aluno Eficiente (O Aprendiz) e um que eu não me lembro o nome, que virou Conta Comigo.

CRISTIANO, também acho que o cinema há de agradecê-lo um dia pelas obras transpostas para as telas. Dentre os livros que você gosta, só não li Saco de Ossos (e tenho uma história muito curiosa sobre Angústia). Acho a "adaptação" de O Iluminado péssima e eu ficaria puto se algo como aquilo acontecesse com um livro meu. No entanto, como filme (desconsiderando que seja embasado em um livro), é ótimo! Eu sou um dos poucos que não acham que À Espera de um Milagre seja assim tão bom. Trata-se de uma obra interessante, mas muito aquém de outros filmes, como Um Sonho de Liberdade.

TOBIAS, Paulo Coelho é foda, hein... ô sujeitinho chato! Minha resposta a Ana seria mais ou menos com os mesmos argumentos que você usou, só não faria uso do tom agressivo. =)

MANOEL, aposto que você nem sabe o assunto abordado no post.

CIÇA, SK está na minha lista também dos escritores preferidos. Stephenie Meyer está à altura do tornozelo de King! Também gostaria de algumas respostas... =D

Luís / Renan disse...

ANA, bem observado quanto ao nosso método de postagem. Sempre em dias pares, sempre à meia-noite. E Cujo não é um filme ruim! Não é melhor, mas é interessante.

BRUNO, eu acho que debates são interessantes... desde que não haja baixaria. Por enquanto, está divertido.

ANA, saiba que você é bem-vinda aqui no blog. Acho que o motivo dos debates é a maneira como você expressa sua opinião. Você é bastanta radical, muito direta!

TOBIAS, comentário bastante cruel, hein? Seria injustiça se eu não desse direito à resposta.

BRUNO, obrigado pelo elogio! :D

JEAN, está na hora de você conhecer as obras de Stephen King. Minha sugestão é que comece por Carrie, que é um livro leve, interessante e, ao mesmo tempo, assustador. E eu adoro O Nevoeiro, adoro mesmo!

ALEXANDRE, também acho que "ficção baseada em realidade" é o que ele faz de melhor, logo, que continue a fazer isso!

CIÇA, se te lincharem, eu te defendo! (embora saibamos que você não precisa disso)

MARCELO, recomendo mesmo que você leia, porque é interessante! E obrigado pelo elogio ao blogue. Sobre a Ana... hnm... ela vai ler isso.

PAULO, o título é realmente meio enganoso, mas o livro é interessante. Eu li A Estrada da Noite, sim! Gostei e vamos comentá-lo aqui em dezembro.

DEWONNY, concordo absolutamente!

Luís

coxilando disse...
Este comentário foi removido pelo autor.