2 de nov de 2009

Vicky Cristina Barcelona


Vicky Cristina Barcelona, 2009, 96 minutos. Comédia / Romance.

Vencedor do Academy Awards na categoria Melhor Atriz Coadjuvante (Penélope Cruz).
___________________________________________________

Na verdade, eu não assisti ao filme porque estava realmente interessado nele; eu apenas o conferi porque me interessava saber se a atuação de Penélope Cruz realmente superava a das outras atrizes a ponto de ela ser a vencedora do Oscar. No entanto, tive uma agradável surpresa ao conhecer a obra, pois reúne características que me agradam num filme do gênero: tem bom humor, uma maneira um pouco inusitada - comento sobre isso mais para frente - de narrativa, fotografia bonita, cores interessantes, além de um charme gritante nos atores principais que dificilmente se obtém em comédias românticas.

Vicky e Cristina são duas jovens que visitam Barcelona. A primeira, extremamente centrada e realista, com um noivo a esperando nos Estados Unidos, vai a fim de estudar para o projeto do seu mestrado, sobre a cultura catalã; Cristina, porém, é o seu oposto, sendo totalmente entregue às aventuras que a vida proporciona, estando lá apenas para acompanhar a amiga e conhecer a cidade. Num encontro eventual, elas conhecem Juan Antonio, um pintor reconhecido na cidade por causa do fim tempestuoso de relacionamento com a ex-esposa, Maria Elena. Um fim de semana é o suficiente para modificar a vida dessas quatro pessoas, que se conhecerão de formas desejáveis e indesejáveis.

A minha relutância em assistir ao filme se devia basicamente a dois motivos: Woody Allen e Scarllet Johanson. Não que eu os ache ruins, mas não vejo coisas muito significativas nas obras deles. Acho que Woody Allen não é um dos meus diretores preferidos, talvez por abordar somente o romance sutil e belo, sem aquele pesar dos grandes amores; já Johanson é a típica atriz sem grandes atributos, na minha opinião. Ela somente acrescenta um pouco de beleza, mas não muita, aos filmes em que atua. Porém, quanto a Vicky Cristina Barcelona, eu devo admitir que eu realmente gostei do filme, me entretive bastante e vi aspectos que não via antes nas obras do diretor. O roteiro é bem conduzido e a maneira como foi escolhida para contar a história é meio incomum, haja visto que há muito os diretores optam por deixar as cenas transcorrerem; Allen optou pela narrativa e uma voz fica nos contando as aventuras das duas turistas ao mesmo tempo em que acompanhamos o que nos é mostrado. Logo no começo do filme, um split screen apresenta as personagens principais, enquanto o narrador as define para o espectador. Nesse momento, já tive a certeza de que a obra me agradaria, pois havia um tom incomum naquela introdução que, já de maneira impactante, exibe aquela cor viva da Espanha; e isso fica ainda mais acentuado quando vemos os olhares admirados de Vicky e Cristina. Aproveitando a deixa, o charme é tão incrível que é capaz de encantar o espectador mais xenofóbico, fazendo-o querer conhecer Barcelona; a trilha sonora combina perfeitamente com tudo o que é mostrado, seja as cenas mais carinhosas ou as mais exageradas.

Eu não conheço nenhum outro filme de que Rebecca Hall tenha participado, embora ela esteja presente em uma razoável lista de filmes; já os outros atores são figuras conhecidas do grande público. Particularmente, eu gostei mais da atuação de Rebecca do que de Johanson, mas não por achá-la ruim, pois já expliquei acima o que penso dela. Mas o que quero dizer é que eu esperava de Johanson uma atuação superior à de Hall, o que não aconteceu. As duas, porém, encantam o espectador, com seus sorrisos - elogio mais voltado a Scarlett Johanson, cujo sorriso é lindo -, suas incertezas, etc. Javier Barden não é bonito, definitivamente. Mas em Vicky Cristina Barcelona ele é puro charme, basta ver a cena em que ele faz o primeiro convite às duas moças num restaurante. E, embora eu jamais pensasse nos dois como um casal, no filme Barden e Johanson combinam muito bem. Finalmente, vem a participação de Penélope Cruz, e logo na primeira aparição, ela tem um aspecto selvagem, mas, em contrapartida, está linda. Tal beleza tende a se acentuar ao longo da obra e quanto mais agressiva fica, adquire mais sensualidade. É quase impossível repreendê-la quando aparece em cena, roubando os nossos olhares. Eu realmente gostei da participação dela e devo admitir que, embora tenha discordado de sua primeira indicação por Volver, concordo plenamente com essa. Minha preferência se divide entre Amy Adams, de Dúvida, e Penélope Cruz; como tenho tendência a gostar mais de drama, eu daria o Oscar à primeira, mas quero analisar com maior frieza, sem levar em consideração minhas preferências quanto ao gênero, e posteriormente decidir quem eu acho que realmente merecia o prêmio.

O filme, de certa maneira, me conquistou, portanto, eu o recomendo. Mas não acho que seja um filmaço - porque, como citei acima, prefiro os dramas -, mas ele entretém bastante o espectador. Há uma sutil mudança no enfoque, transformando a comédia romântica inicial em algo um pouco mais denso, porém mantendo a abordagem sutil e charmosa. Embora seja apenas um verão, tal como o romance de Michael e Hannah Schmithz, em O Leitor, Vicky Cristina Barcelona trabalha com o tempo de maneira a estendê-lo e ao final do filme, acreditamos que mais de um ano se passou, diferentemente do filme a que o comparei, em que temos realmente a noção de espaço curto de tempo. Se isso é bom ou ruim, dexio que vocês decidam. Eu aproveitei bastante a hora e meia da produção e minha única reprovação é o fato de Penélope Cruz aparecer tão pouco...
Luís
_______________________________

Vicky Cristina Barcelona é um emaranhado de gêneros onde a comédia, o romance e o drama se interligam formando uma mistura difícil de traduzir, junto com o gênero vêm os sentimentos dos personagens principais em sua maioria confusos perturbados no qual uns tem certeza do que querem mas precisam de outro apoio para continuar sua jornada e ao mesmo tempo esse apoio não sabe o quer desestabilizando esse triângulo e no meio disso tudo há um casal do qual uma das partes está disposta a entrar no triangulo falido citado anteriormente. Confuso não? Mas tudo isso ajuda a formar um filme rico e agradável onde até o título é diferente. A estória é de Vicky (Rebecca Hall) e Cristina (Scarlett Johansson) duas amigas, totalmente opostas uma da outra, que vão a Barcelona as férias. Lá elas conhecem o Juan Antonio (Javier Bardem) que se mostra excêntrico nas primeiras falas, onde ele as convida para um jantar e se tudo der certo para a cama, os três. Cristina no momento já se sente atraída aceitando o convite e levando a amiga junto por tabela, mas Vicky também acaba descobrindo os prazeres que ele pode proporcionar a ela. Some aí a ex-mulher louca do pintor e temos uma trama muito interessante.

Tenho que confessar que esse filme só me chamou a atenção por ter ganhado o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante para Penélope Cruz que faz seu papel com perfeição, nos mostrando uma Maria Elena em momentos opostos. Em uns ela está calma expressando todo seu sentimento na pintura, momento esse marcado pela presença de Cristina no relacionamento a três; em outros ela se mostra perturbada e atirando palavrões a quem quiser ouvir. Mesmo tendo gostado muito de Penélope Cruz assim, ainda acho que a Amy Adams deveria ter ganhado. O resto das atuações também são ótimas, pois o trio principal consegue passar a profundeza dos sentimentos ali mesmo quando esses parecem ser nulos ou providos apenas de desejo carnal e ainda no trio tenho que destacar a Scarlett Johansson que traz uma Cristina sonhadora que “não sabe o que quer, mas sabe o que não quer” e que consegue dar um ponto a mais para o filme.

Não esperem demais do filme, pois não é isso que os espera, e é nesse aspecto de “assistir ao filme despreocupadamente” que o longa ganha pontos, pois sendo uma estória relativamente leve, sentimos aquele prazer de não ter que pensar muito no filme aproveitando - o ao máximo tornando – o muito recomendável.

Renan

30 opiniões:

Cristiano Contreiras disse...

Bom, vou ser meio objetivo:

1 - Acho Penélope Cruz magnífica, em tudo que atua, tem uma certa sutileza que agride! É impossível não deixarmos de observá-la em cada cena, principalmente neste filme - ainda que apareça pouco, tem um certo carisma, destaque, é toda deliciosa e o oscar veio a calhar. E isso de só personagem dramática de levar oscar já passou. Tem que variar mesmo.

2 - Woody Allen é mestre! Fez obras memoráveis, em particular "Poderosa Afrodite" e "A Rosa púrpura do Cairo" - adoro estes dois, mas posso citar quase todos...revi "Hannah e suas irmãs" e adoro também "Todos Dizem eu te amo", em falar no ótimo "A ERA DO RÁDIO"...

Como desprezar um ótimo diretor? já percebeu como ele sabe propôr o humano da melhor forma possível? além de tudo, sabe falar do feminino e ser criativo! Ele é um gênio pra mim. Gosto muito!

Lamentável não aceitá-lo.

3 - Meu Deus! Scarllet Johanson, além de linda, é ótima atriz! Doce, meiga, intensa...como pode elogiar Michelle Rodriguez e falar dela assim, achei um tanto desrespeitoso, rsrs...ela atuou tão verdadeiramente no "Moça com brinco de pérola" e "Encontros e desencontros", de Sofia Coppolla, não e não! rs

Não aceito! hauahauaha!

Ela, além disso, é versátil.
Atua com delicadeza!

4 - Faltaram destacar o excepcional Javier Bardem, não? Além de belo, é puro charme interpretativo, muito bom ator!

5 - Vicky Cristina Barcelona é um filme dinâmico, interessante, conceitual, um roteiro básico e que funciona bastante. Sem falar na fotografia contida, mas bem acentuada. Gostei muito! Achei o elenco entrosado, a proposta me agradou bastante, um dos melhores do ano passado!

6 - Será que precisam rever?

Abraço aos dois!

Cristiano Contreiras disse...

Ah, uma coisa:

Achei, pela primeira vez, a resenha cansativa e nada objetiva.

Luis, você rodou e rodou e falou o tempo todo basicamente as mesmas coisas. Ficou repetitivo, muito formal, a leitura não fluiu.

Renan, não compreendi muito seu texto, além de ter algumas frases mal construídas e alguns erros. Não entendi o que quis dizer, no geral. Estava sonolento?

Bom, abraço a todos!

moviesfromboxes disse...

olá!
tá bem legal esse novo template mesmo, parabéns ae!

quanto o filme... eu gosto muito do Woody Allen, mas ele não é um dos meus preferidos. De qq forma, tô curtindo bastante o que ele vem fazendo ultimamente, principalmente em Match Point e em Vicky Cristina Barcelona.

percebam a evolução da penelope cruz como atriz. ela está cada vez melhor.

-> no meu blog eu tb falo (ou tento?) sobre cinema e litetatura, vou por o link de vocês lá!

Abs.

Ricardo Martins disse...

Passo na locadora e nunca alugo esse filme , e sempre tive a mesma curiosidade: saber se Penélope Cruz foi tão excepcional assim!
Quero vê-lo por ela!
Mas valeu pela dica!

blog disse...

Allen é dos melhores. Faz cinema como quem escreve crônicas, o que lhe dá a vantagem, como o próprio nome indica, de filmar o quotidiano e retirar dele o que há de mais curioso - mesmo que aparentemente banal. É exatamnte isso o que acontece em VCB: uma crônica sobre solidão, amor, casamento, loucura e, claro, ménage-a-trois.

Scarlett é bonita, apesar de genu vagum. Isso é detalhe. Penelope, ao contrário, sabe usar a selvageria latina para atiçar quem possui testosterona pra valer. É gostosa só de olhar. Recusou-se a tornar-se musa de Allen porque sua mãe é amiga de mia Farow. Quase não aceita filmar, dizem.

Barden está se tornando aquilo que a indústria precisa: um amante latino, mas longe dos estereótipos que vigoraram durante os anos 40 e50, em Hollywood. Hoje é preciso um cara descolado, inteligente e artístico, de preferência. Pode ser um personagem meio tirado a filósofo. Isso dá certo e mantém os latino-americanos, compradores do produto, satisfeitos com a fórmula.

De resto, há filmes de Allen que são melhores, mas este vale ver e rever.

Ipsis Litteris.

Bruno disse...

Luis / Renan, agora é minha vez de descascar o abacaxi! rsrsrs (brincadeira)

Respeito totalmente a opiniao de vcs e também prefiro muito mais um filme de Drama à um romance.

Mas, entre as concorrentes de melhor atriz coadjuvantes, acredito que a Penelope (não gosto dela rsrs) ganhou por ser a "menos pior" entre as candidatas.

Gosto dos filmes do Woody Allen, que além de muito visuais tem diálogos magníficos!
Sugiro que assista mais filmes dele, talvez goste!

Recomendo "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa, 1977" é mravilhoso!

E ouçam o cd da trilha sonora do filme, não tenho palavras pra descrever de tão boa que é!

Abração!

Adamastor disse...

VCB não é o melhor do Woody Allen, mas eu adorei o filme. Só ele mostra mulheres desse jeito. Scarllet e Cruz estão fabulosas.

Porque vocês dois colocam a sinopse do filme?

PEDRO disse...

Eu vim aqui pra comprimentar vocês pela crítica, mas eu quero dizer parabéns por outra coisa: tem um filme nacional na lista dos melhores do mês.

Quando vou postar sobre ele?

mulherices disse...

Putz, que coincidência: falamos HORAS sobre esse filme aqui hoje! :)

Ta tarde, não vou ler seu artigo agora (venho depois, leio, comento de novo).

Mas o fime é sensacional, do tipo que a gente não quer que acabe! Uma delícia!

Joice disse...

noss, os filmes do Allen sao particularmente interessantes, mas desse eu gostei bastante - não pela Penélope ou pela Scarlett - mas sim pelo filme em si. Ele não deu nenhum final mor pra coisa toda. Simplesmente mostrou que são situações que acontecem, e não existe realmente um jeito de se sair delas como todos os filmes fazem parecer. assistam =)

Everaldo Ygor disse...

Olá, tive a oportunidade de apreciar esse filme ainda no cinema, mas não me tocou, tem boa fotografia e trilha, mas o roteiro já é nosso velho conhecido...
Abraços
Everaldo Ygor

Rodrigo Mendes disse...

LUIS: Eu gostei da Penélope em VOLVER e fiquei satisfeito com a indicação, até torci por ela.
De fato Woody Allen esta numa fase madura e ao mesmo tempo marota, indo para a Europa (mesmo ficando com saudades de sua New York), o cara já com seus 80 e poucos agora amadurece e brinca também. Sua terceira idade está na flor da pele.

RENAN:Embora eu tenha gostado de Vick Cristina Barcelona, prefiro mil vezes PONTO FINAL (nesta fase do diretor).

Ambos assistiram SCOOP e O SONHO DE CASSANDRA?

Depois me digam o que acham.

Abs! e o Blog de vcs está NOTA 10!!!!!!!

cicolinha disse...

aaah..esse eu não conheço :/
mas deu vontade de assistir!

lopes disse...

Em algo concordo contigo, em relação a generos cinematograficos, prefiro os dramas.

Não assisti o filme, por isso não posso critica-lo. Critico, na verdade, quem age assim!

Mas se você gosta de drama, e gostou dele, mesmo considerando que não é o "filmaço", se eu tiver oportunidade, vou assisti-lo e pagar pra ver.


http://identidade-cultural.blogspot.com/

V disse...

Rapaz, de onde vcs tiram tanto tempo pra assistir tantos filmes??

Eu mesmo tou me debatendo pra alugar um dvd, se hoje não fosse feriado nem conseguiria assistir ao "Máscara de Ilusão", já ouviu falar dele?

Bruno disse...

Luis / Renan

Ah, entre as indicadas eu acredito que não teve nada fora do comum. Não tava tão acirrada a disputa.

Mas repetindo, gosto de vir aqui porque não tem graça todo mundo gostar das mesmas coisas!
Acho saudável isso de não concordar de algumas coisas que vocês falam e de vocês não concordarem de algumas!

Quanto ao nosso amigo de cima V, é simples, não sei por hobby, mas acredito que sempre que temos tempo livre assistimos!
Melhor passar 2 horas livres vendo um filme do que sem fazer nada!

Shay - disse...

O filme é realmente muito bom; valhe a pena conferi-lo por completo. Penelope Cruz é uma excelente atriz, e fez um papel magnífico. Scarlett Johanson não deixou para trás, e atuou magnificamente bem. O rapaz que não me lembro o nome também fez um papel incrível.

Bom, é isso.

Comente lá :}

Fotograma Digital disse...

E todo mundo mandando as "farpas" em cima de vcs rsrs.

Sem ser chato, o tio Woody tem muita coisa boa, em diversos gêneros... da comédia rasgada (Bananas, Tudo o que tinha medo de ..., O Dominhoco [embora não o considere tão rasgado assim]), romances (como esse citado), filmes biográficos (Era do Rádio), mistérios (Match Point, Tiros na Broadway) e dramas poderosos (Hannah, Annie Hall, Manhattan).

Se puder ter a audácia de aconselha-los diria apenas: descubram esse cara e que garanto que vai se tornar um dos diretores preferidos de vocês.

Abraço.

Anônimo disse...

Penélope é uma ótima atriz, também fiquei curioso como ela se sairia, pelo estilo do filme ví que ela se saiu muito bem, foi muito bem produzido então temos uma excelente opção de filme para ver.

BLOGdoRUBINHO
www.blogdorubinho.com.br
www.twitter.com/blogdorubinho

Vagabah de Castro disse...

dos filmes que vi recentemente, esse é um dos melhores
penélope cruz está ótima, fantástica! E todo o elenco está muito bom também.

Woody allen é mestre, filmes muito bons.
meu preferido é Annie Hall, com a lindíssima Diane Keaton

Wellington disse...

Obrigado por visitar e comentar em meu blog NWB! =) Sobre história e cultura japonesa já falei em meu blog ano passado especialmente sobre Tóquio, sobre como surgiu e sobre seus 23 bairros!!! Turismo, história e cultura oriental que eu mais falo em meu blog! Se clickar em posts anteriores ou navegar pela lista de RSS do blog vai ver que há muito de cultura e história que já discuti! =) Os assuntos são pedidos dos visitantes NWB! Sugira um assunto para os próximos posts!

Obrigado e abraços!!! Sucesso ao seu blog! =)

neowellblog.wordpress.com

Fotograma Digital disse...

Respondendo , fui eu Alexandre. Quando o comentário vier como Fotograma sempre serei eu rsrsrs.

Abraço.

Marcelo Augusto Cetreus disse...

Vamos por partes.

Vicky é um filme pelo qual me simpatizo muito, porque adoro contos envolvendo esses intercâmbios, dramas urbanos inusitados com tons de crônica.

O filme é bem dosado, o que se torna muito bom de ser visto. Woody novamente adiciona sua frieza na trama, mas como já é sua marca registrada, não é algo que incomoda.

Quanto ao elenco, nada a declarar. Penelope simplesmente arrasou nos seus poucos minutos de aparição e Scarllet está linda.

Achei a resenha normal, bem direta. Abraços.

kbritovb disse...

Scarlet?** Santa piriquita do bigode loiro.
vo ver esse filme na verdade ate esqueci dele

K∂riиє* disse...

Engracado que eu gosto mais da Scarlett Johansson do que da Penelope.
E' bem verdade que pelo menos pelo trailler do filme ela me pareceu bem,mas ainda nao vi apesar de ter batido a vontade de alugar,ele nao estava disponivel quando procurei e acabei esquecendo !!!

Valeu a dica !

Rafael Sanchez disse...

É o pai dos caras do supernatural?

O Cara da Locadora disse...

Agora eu sei onde estão todos os meus comentários, pooo, ce tá bombando, rs...

Sobre o filme, não entendo como você pode não gostar do Woody, rs... E outra, eu achei sim um grande filme, inteligente além de visualmente lindo...

Muito bom...

Jessica disse...

Mais um dos filmes que eu deveria ter assitido!

Luís / Renan disse...

CRISTIANO, primeiro devo dizer que nunca recebemos um comentário tão grande assim. Tentarei respondê-lo de maneira suscinta e objetiva:
1) Achei Penélope Cruz fabulosa nesse filme. Belíssima e competente, ela me conquistou. Não acho que apenas atrizes dramáticas mereçam Oscar (mas Adams está bem melhor, hein!).
2) Conheço pouquíssimas obras do Woody Allen, por isso não posso avaliá-lo muito bem. Mas, para ser sincero, esse tipo de filme não me agrada muito...
3) Scarlett Johanson é uma boa atriz? Um dia, talvez, eu me convença disso. Só para constar: Moça com Brinco de Pérola é bem cansativo e monótono. Já "Encontros e Desencontros" - cujo título literalmente se perdeu na tradução - é mais legal, mas preciso revê-lo.
4) Não achei Javier Bardem excepcional, porém eu o achei extremamente carismático e, como você disse (e eu também, na resenha), ele está puro charme.
5) É, bem que você disse que esse era o "seu" filme. Deve gostar muito dele. Eu não o achei assim tão grandioso.
6) Lógico que precisamos rever! Só se conhece um filme de verdade ao conferi-lo, pelo menos, duas vezes. Eu só o vi uma...
* Sobre a minha resenha, é uma pena que a tenha achado cansativa. Tentei realmente deixá-la interessante. E não se acanhe, critique-nos se achar ruim. Assim, podemos melhorar. ;)

MOVIES FROM BOXES, eu também não sou muito fã de Woody Allen, mas não conheço muitas obras dele. Ainda não conferi Match Point, mas vou vê-lo em breve. É com a Scarllet também, né? Penélope Cruz está adorável em VCB, lindíssima. Vi o seu blog e gostei muito.

RICARDO, alugue-o e veja Penélope Cruz. O filme todo é divertido, mas a espanhola é o ponto alto!

BLOG, como eu tenho dito aos leitores, eu não conheço a obra de W. Allen. A respeito de Cruz, ela está realmente muito bem nesse filme e Barden está muito charmoso. Gostei muito do seu comentário, mas por que não se identificou? Quero conhecer o seu blog também.

BRUNO, os dramas chamam mais a minha atenção Como assim "Penélope era a menos pior" da lista? A única medíocre na lista era Viola Davis - que nem tinha motivos para estar lá. Anotei o filme que você recomendou e vou conferi-lo tão logo que puder.

ADAMASTOR, você me lembrou Os Lusíadas... por causa do gigante, sabe? Enfim, Cruz está realmente fantástica, mas Scarllet Johansson ainda não me convenceu de sua capacidade como atriz. Tem duas sinopses porque, às vezes, um já escreveu e o outro, sem ler antes, acaba repetindo essa informação.

PEDRO, sim, há um filme nacional no ranking! É possível que haja outro no filme nacional ranking do próximo mês. Quanto a comentá-lo, ainda não sabemos quando disponibilizaremos a resenha.

MULHERICES, que coincidência, hein. Espero que voltem mesmo para comentar sobre o filme... é complicado mesmo ler textos longos quando se está com sono.

JOICE, eu gostei bastante do filme também. E isso que você citou foi de suma importância: o final é coerente, sem os exageros dos romances comumente idealizados.

EVERALDO, senti uma sutil contradição. Você apreciou o filme no cinema, mas não gostou tanto dele? Não acho que o roteiro seja assim tão óbvio. Me diverti assistindo a esse filme...

RODRIGO, eu realmente me desentendi com Volver. Não sei, acho que não entrei no clima. Sobre Woody Allen, podemos dizer que o passar dos anos fez bem à sua capacidade artística como realizador? Pretendo ainda ver muitos filmes dele! Nem eu nem o Renan vimos ainda os dois filmes que você disse e muito obrigado pelo elogio ao blog!

Luís

Luís / Renan disse...

CICOLINHA, eu recomendo que você assista ao filme. É divertido, vale a pena.

LOPES, sensato da sua parte não criticar um filme que você não conhece; também não gosto muito dos que fazem isso (embora eu faça, às vezes). Também prefiro os dramas, mas VCB é um filme interessante, recomendo.

V de Vingança? Desculpe-me, não resisti. Infelizmente, o tempo não é meu aliado na hora de assistir aos filmes. Por mim, veria dez a cada dia. Nossos dias são corridos, mas nos alimentamos da cultura que os filmes e livros representam; logo, temos que vê-los - de qualquer maneira. Sobre o filme que você citou, ainda não vimos, mas, se o virmos, comentaremos aqui.

BRUNO, adoro debates! E nada melhor do que opiniões opostas para fazê-los surgir. A disputa entre as coadjuvantes estava light mesmo: ou seria Penélope ou seria Amy. Continue vindo aqui, sim! Também não gosto das coisas sempre iguais. Quanto à sua resposta ao V, concordo com ela: antes duas horas em frente à TV vendo um filme do que duas horas sem fazer nada.

SHAY, sim, concordo com você: vale a pena conferi-lo por completo. Cruz e Barden estão muito bem; Johansson está como sempre esteve - seja isso bom ou ruim.

FOTOGRAMA DIGITAL, pois é, as farpas foram várias! Eu apenas não aprecio o trabalho de W. Allen, porque conheço poucos filmes dele. Mas vou tentar conferir vários outros, a fim de conhecer títulos que me façam achá-lo "um dos meus preferidos". Só queria saber: quem escreveu o comentário?

RUBINHO, Penélope realmente está bem nesse filme; é a ela o meu maior elogio.

VAGABAH, Penélope parece ser o ponto alto do filme; todos dão mais atenção a ela! Woody Allen é sem sombras de dúvida muito prestigiado; eu, particularmente, não tenho muito interesse em suas obras.

ALEXANDRE, obrigado por esclarecer.

MARCELO, simpatizei bastante com o filme também. Concordo quanto à dosagem: há drama, humor e charme suficientes no filme. Penélope arrasou mesmo. Sobre Scarlett... bem... hnm...

KBRITOVB, santa piriquita do bigode loiro???

KARINE, eu gosto muito mais da Penélope. Sugiro que você o veja mesmo, vale a pena.

RAFAEL, do que você tá falando? oO

O CARA DA LOCADORA, ah, quem derá se nós estivéssemos mesmo bombando! Esse é o post que deu sorte, todos vierem comentá-lo. Eu achei um filme legal, mas não é o meu gênero preferido.

JÉSSICA, sim, você deveria ter assistido.

Luís