12 de nov de 2009

Stephen King

Quando o Renan e eu decidimos vir para o blogspot, nós consideramos algumas possibilidades de interação. Acreditamos que seria mais interessante se os leitores do nosso blog pudessem escolher o perfil que eles querem ver. Começamos então com a disputa entre o escritor Stephen King e a série Harry Potter e o resultado proveio das escolhas, que corresponderam a 64% a favor do escritor. Uma vez que o vencedor foi King, nada mais justo do que chamar uma pessoa que, assim como eu, gosta bastante dele. A Ciça participou do Literatura e Cinema há algum tempo, também escrevendo sobre uma obra dele. E, mais uma vez, nós a recebemos com muito carinho para mais uma resenha. Pela primeira vez no LeC, duas pessoas (eu e a Ciça) escrevem juntas!
____________________________________________


Stephen King nasceu em Portland, Maine, em 21 de setembro de 1947. Sua família passou por dificuldades financeiras quando ele era criança, chegando inclusive a ponto de passar fome. Sua infância e adolescência foram bastante ativas: lia muitos livros de ficção, que misturavam realidade com terror sobrenatural; escrevia contos e novelas de terror e vendia a seus amigos e uma vez testemunhou a morte de um amigo, que foi atropelado por um trem. Graduou-se em Inglês numa faculdade do Maine, onde trabalhava para o jornal estudantil. Aos 24 anos, conheceu Tabitha – que se tornaria sua esposa e seria a maior responsável pela sagração de King como escritor. Vários acontecimentos ocorreram em sua vida, nem todos positivos. Mas essa resenha é pra listarmos sua capacidade como escritor, não para avaliarmos como pessoa, então sugerimos que, os que estiverem muito interessados na biografia do autor (que inclui problemas com bebida), recorram a uma página que contenha tudo isso.

Já havia experimentado compor vários romances, mas o seu primeiro grande sucesso ocorreu quando publicou Carrie (que recebeu o péssimo subtítulo “A Estranha” no Brasil). Primeiro, achou-o fraco e acabou ignorando; posteriormente, depois de considerá-lo inferior, o escritor livrou-se dos escritos, jogando-os fora. Sua esposa os retirou do lixo, os leu e concluiu que o material era ótimo para uma publicação. Incentivou-o a procurar uma editora. O desenrolar vocês já sabem: número considerável de vendas, divisor de opiniões, o livro alavancou o até então desconhecido Stephen King. Dois anos depois da publicação, Brian De Palma adquiriu os direitos autorais e transpôs o romance para o cinema. E o resultado foi grandes elogios da crítica sobre o filme (e o roteiro, logicamente); uma indicação ao Oscar na categoria Melhor Atriz para Sissy Spacek em seu primeiro papel; e o mais esperado: aumento de vendas do livros, que incentivou King a produzir mais obras e nos presentear com mais ótimos livros.

Creio não haver livro algum de Stephen King que não deixe os leitores afoitos, temerosos, alguns tristes, outros angustiados... e sempre presente a ânsia para saber o que vem a seguir, que não nos deixa interromper a estória mesmo após horas de leitura. Para mim, em cada um de seus livros, é como se eu fizesse parte do cenário. É inegável seu talento (ou seria seu poder?) de envolver o leitor na trama, fazê-lo sentir, sofrer, desesperar-se junto com os reais personagens. O elemento interativo que o autor usa em seus livros é fundamental para que o leitor seja capaz de aproximar-se de alguns personagens e afastar-se de outros. King nos faz acompanhar psicologicamente a evolução – e às vezes regressão – de cada pessoa na história.

SK já se arriscou em muitos gêneros de estórias, sempre tendendo ao suspense, mas passando também pela ficção científica, pelo drama, por roteiros que têm tudo para serem reais (e que bem por isso nos assustam tanto), e sem dúvida pelo mais absoluto e paralisante terror. É importante citar que, embora seja um escritor conhecido pela sua ênfase no horror, King sabe muito bem nos mostrar gêneros que não se limitam ao desespero oriundo da carnificina. Alguns livros, por exemplo, trazem um terror bem explícito e físico, como é o caso de Desespero, que recentemente se tornou um filme; outros tantos nos mostram um lado psicológico e, por causa disso, mais amedrontador ainda. Desse grupo, podemos citar os títulos Carrie e O Iluminado, no qual os personagens principais (e no caso do segundo, os secundários também) passam por um sofrível processo de amadurecimento. “Amadurecer” tem aqui um significado perverso, uma vez que Carrie e Jack Torrance aprendem a se tornar perversos e vingativos, descobrem como ignorar o bom senso e se deixar guiar pelos instintos mais primitivos, como a agressividade como fim de preservação.

Ainda não tive a oportunidade de conferir, mas acredito que em todos as suas obras, ou em boa parte delas, há uma introdução na qual ele explica os motivos que o levaram a criar a estória, no que ele estava pensando quando a aterrorizante, ou comovente, ou intrigante idéia surgiu em sua mente. No livro Dissecando Stephen King, que foi lido a fim de ajudar na composição desse perfil, uma série de entrevista nos coloca a par de um autor brincalhão. E isso soa contraditório ao fato de que suas respostas divertidas não se encontram nas composições literárias que, quase sempre, nos mostra algo enraizado e profundo dentro das pessoas. Usualmente, a dor dos personagens transparece de maneira fácil, uma vez que a leitura é igualmente fácil (pois é prazerosa). O livro citado acima, que será comentado aqui também, nos revela algumas opiniões interessantes do escritor.

Já sabemos há algum tempo que as obras de Stephen King às vezes resultam em obras cinematográficas de gosto duvidoso. Bons exemplos são os filmes Christine – O Carro Assassino (mais uma vez o péssimo subtítulo) e O Apanhador de Sonhos, que têm qualidade inferior às demais composições, como Um Sonho de Liberdade, Louca Obsessão e o controverso O Iluminado, de Stanley Kubrik. Quanto ao último filme citado, considero-o ao mesmo tempo uma boa obra dentro das telas, porém uma infeliz adaptação. Kubrik deu a dinâmica necessária ao enredo de King, transformou-o num grande filme; pecou, porém, ao reestruturar a história, criando uma obra quase totalmente diferente do que lemos nas páginas do livro que o originou – ou o embasou, ou inspirou. Não sei exatamente qual termo usar. Em entrevistas, King disse que gostou de tantas obras, reprovou tantas outras e se sente indiferente a alguns resultados, pois disse que compreende as dificuldades de explicitar aquilo que antes se limitava à imaginação do autor/leitor. Conta também que tem medo de escuro, acha que há algo em seu quarto, que trabalha 6 horas por dia e que, como todas as outras pessoas, tem uma rotina bem normal.

Livros que já lemos do autor (em parênteses, está a inicial daquele que leu a obra; em itálico, os livros assinados sob o pseudônimo de Richard Bachman):

1) Carrie, a Estranha (C/L) - 1974;
2) O Iluminado (L) - 1977;
3) A Incendiária (L) - 1980;
4) Cão Raivoso (L) - 1981;
5) As Quatro Estações (L) - 1982;
6) O Concorrente (C/L) - 1982;
7) Christine (L) - 1983;
8) O Cemitério (C/L) - 1983;
9) A Maldição do Cigano (C/L) - 1984;
10) Angústia (L) - 1987;
11) Eclipse Total (L) - 1992;
12) Pesadelos e Paisagens Noturnas (L) - 1993;
13) Rose Madder (L) - 1995;
14) À Espera de um Milagre (C) - 1996;
15) Desespero (L) - 1996;
16) Tudo é Eventual (L) - 2002;
17) Celular (C/L) - 2006;
18) Love - História de Lisey (L) - 2006.
Vale lembrar que King é bastante reconhecido por seu trabalho como escritor. Constantemente nós vemos citações em algunas seriados e filmes, como é o caso de LOST e Premonição. No primeiro caso, na segunda e terceira temporadas, respectivamente, Henry Gale pede a Locke um livro de King para ler enquanto fica confinado e Juliet lê o livro Carrie no "clube de leitura" da Ilha. Já em Premonição, na primeira sequência da série, um garoto (aquele que morre esmagado por um bloco de vidro) lê Saco de Ossos. Num filme chamado O Pacto, que foi exibido na TV no último dia 9 pela Rede Globo, há uma cena na qual um professor discorre sobre os 4 mais importantes escritores da atualidade e Stephen King é um dos citados, sendo que o professor ainda acrescenta que O Iluminado é o seu livro preferido.
King, como escritor, não tem medo de invadir e explorar os mais diversos campos da nossa consciência. Não tem medo de mostrar até onde o imaginário humano pode chegar. Ele consegue atingir nossas maiores fraquezas, nossos maiores temores, e nossas maiores forças em um mesmo enredo.
Ciça e Luís

26 opiniões:

njlo75 disse...

que pena ainda não ter nenhum comentário acerca de seu blog..ele é ótimo..adoro sthephen king.."o iluminado ""carrie a estranha(original"e outros..muito bom.visita meu blog e me segue tbm... http://desenhospoeisiascomportamento.blogspot.com/ já estou te seguindo ,abraços.ah..o meu twitter @nilsinho75

Canto do Lufa disse...

Nunca li nadA dele!

Um curiosidade: fazemos aniversário no mesmo dia - 21 de setembro - dia da árvore

Bruno disse...

Olha só, eu adoro SK, li quase todos e tenho vários livros aqui.

Dessa lista dos que vc leram eu só não li: O Concorrente / Eclipse Total / Celular e Love - História de Lisey

Que eu li a mais, e que com certeza vocês se tiverem a oportunidade lerem! É O Dreamcatcher, It, Bag of Bones.

E estou no 5º livro da Torre Negra! que são maravilhoos!

Excelente post!!! Não tenho nem o que dizer!

Ciça disse...

ah...o seu blog é legal!

hahaha

adoreeeei! seus complementos ficaram tops!

SK é rei...

e vc precisa me emprestar todos esses livros ae!!

ps.: vc não leu À Espera?? :o

Daniel Silva disse...

Cara, nem sabia da indicação. Muito obrigado mesmo, mas já penso que meu blog tem muitas imagens pra colocar mais uma.

Sobre o Stephen King, um mestre! Carrie é foda.

Ana Lucia Nicolau disse...

Oi amigo, bom dia!
realmente esse autor merece toda reverencia, essa postagem soube passar as informações de forma clara e precisa...parabéns!
abs

Wandinha disse...

Nunca li nada de King... Mas confesso que esta postagem, despertou em mim certo interesse em ler suas obras ^^
Sou fanática por livros...
Uma das coisas que eu gosto na internet, é essa democracia... A liberdade e o acesso que todos tem à novas informações ^^

Rubra disse...

Li apenas um dos livros citados.. Muito interessante a ideia de escrever a introdução com o smotivos de cada estória ser criada...
Interessada pelos livros, uma vez que já sei o tipo de autor que está por trás de tantas letrinhas... Foi uma boa resenha.
Beijos

Rubra disse...

Olha só que interessante, já li um livro dele.
Achei ótima a ideia do autor, de fazer a introdução contando o que o levou a escrever a estória...
Como a Wandinha disse, essa liberdade de acesso é maravilhosa, agora sei quem está por trás de tantas letrinhas, e com a curiosidade desperta.

Daniel Silva disse...

Nunca vi ninguém responder os comentários, isso mostra que vocês se preocupam com os leitores.

Amigo, suas palavras a respeito do meu blog me deixam muito feliz. Ainda mais vindo de quem escreve tão bem sobre assuntos que sou ignorante. Devo dizer que sou um ignorante em cinema e literatura, então temos um ao outro agora pra nos informar.

Grande abraço

Fotograma Digital disse...

isso é uma vergonha, mas só li unzinho livro do Stephen King.

Marcelo Augusto Cetreus disse...

Primeiramente, grande síntese de SK. Novamente, voces demonstraram tudo de forma fluente e concisa. Sou muito fã desse mestre e minha obra favorita dele chama-se Tempestade do Seculo. A obra virou ate um filme, muito bom tambem. Confiram o mais rápido possível. Eu ainda seguirei o seu conselho de ver Eclipse Total. Estou lendo a dança da morte, conhecem? Abraços

Fernanda disse...

não posso dizer que sou uma leitora assídua de SK, mas eu já cheguei a ler um ou dois livros. Sempre me pareceu muito fantasioso, mas ainda sim prendia muito a atenção, me fazia ficar ligada no livro. Gostei de como estão escrevendo o blog, fazendo a avaliação de filmes e livros, muito legal.

Beijos.

Comentem lá no meu blog: http://omundodefernandalopes.blogspot.com/search/label/Eu%20que%20escrevi

Corleone disse...

Rapaz, SK = Deus, e o resto é balela.
Enfim, excelente post, parabéns ;D

PEDRO disse...

SK é demais!
eu lia os livros quando era mais novo elembro q tinha 15 anos quando li A incendiaria pela primeira vez
é um dos meus livros preferidos e já li tres vezes
tem um filme desse livro com uma das panteras mas foi feito qnd ela era criança

vale a pena conferir também A Dança da morte, que é um livro gigante
eu tenho uma sugestao: voces deviam fazer um mês só com adaptações.
tipo apresentar o livro e depois o filme que ele originou

o que acham?

Fotograma Digital disse...

Caras eu li só Carrie ... o resto só vi em filme rsrsrs

Nina disse...

eu adoro Stephen king. Eu já li alguns livros e o que eu mais gostei foi Cemitério Maldito.

Muito legal isso de escrever porque ele criou a historia, acho legal isso. Li que It foi criado pq ele leu um artigo sobre um grupo de crianças que viram um crime e anos depois essas pessoas começaram a morrer.

vou começar a vir mais aqui.

cicolinha disse...

Curti a idéia do Pedro hein Lu...de falar das adaptações!
dá um paninho pra maaaanga!

e que bom que o pessoal gostou do post!

Tatiane Rosa disse...

Já ouvi falar em seus filmes e em toda a sua obra,mais nunca tive a oportunidade de ler ou assistir

Dan Moura disse...

Eu gosto muito dele...
Apesar de não conhecer muitas obras dele, mas os seus contos são abstantes conhecidos...
abraços...

Luís / Renan disse...

NJLO, como assim "não ter nenhum comentário acerca do meu blog"? Não entendi isso. King é ótimo mesmo, um dos melhores. O Iluminado e Carrie são realmente grandes obras. Verei o seu blog.

CANTO DO LUFA, eu realmente acho que você deve ler algo, pelo menos para experimentar. Que coincidência, hein. Você, King e a árvore comemoram no mesmo dia.

BRUNO, embora eu adore, eu tenho poucos livros. Desses quatro que você disse que não leu, eu sugiro com veemência que leia Eclipse Total. Tentarei ler os três que você leu. Eu tentei ler A Torre Negra, mas parei no meio do primeiro, porque não me identifiquei com a história.

CIÇA, eu acho que a nossa resenha ficou muito boa. Eu não tenho todos esses livros, quem me dera! A maioria eu peguei na biblioteca. Concordo que King seja rei. Sobre À Espera de um Milagre, eu não li o livro inteiro.

DANIEL, como não sabia?! Nós deixamos um comentário avisando-o de que o indicaríamos a um selo! King é um mestre mesmo!

ANA LÚCIA, SK é realmente muito bom. Obrigado pelo elogio à postagem.

WANDINHA, você tem que ler algo de Stephen King. Essa é auma experiência que todos deveriam conhecer. Recomendo que comece por um livro mais light, como Carrie.

RUBRA, qual livro leu? Com essa "liberdade de acesso", acho que você poderia buscar mais livros dele para ler.

DANIEL, achamos importante responder a que os leitores comentam. Eu disse aquilo sobre o seu blog porque penso exatamente aquilo. Percebo que temos o que aprender um com o outro, então!

ALEXANDRE, qual livro do King você leu?

MARCELO, obrigado pelo elogio. Eu conheço a obra "A Tempestade do Século", mas se trata, na verdade, de um roteiro de filme que, posteriormente ao lançamento do filme, foi transformado em livro. Eu já vi o filme e gostei bastante. Conheço A Dança da Morte também; eu tenho os DVDs da minissérie lançada nos EUA. Tem 6 horas de duração! Sobre Elipse Total, recomendo que leia. Vale muito a pena. Há um filme também, com Kathy Bates, a mesma atriz que interpretou Annie Wilkes, outra personagem de outro livro de SK.

FERNANDA, eu gostaria de saber quais livros você leu. Acho estranho que eles te entretiveram, mas você nem sequer optou por dizê-los.

CORLEONE, se Deus fosse escritor, seus romances poderiam ser mais chatinhos.

PEDRO, eu lembro que gostei bastante de A Incendiária, mas faz muito tempo que li. Sobre o filme, eu sei que existe, mas nunca encontrei em nenhum catálogo de locadora. Vou conversar com o Renan sobre a ideia, porque a achei bem interessante.

ALEXANDRE, ler um é melhor do que não ler nada. Uma pena que alguns filmes sejam tão ruins... Me diga o que achou de Carrie.

NINA, eu também li vários, como você pode perceber, mas o nome do livro que você quis citar, na verdade, é apenas O Cemitério. Eu não sabia sobre essa história a respeito de It, mas é legal saber. Sim, venha aqui mais vezes!

CIÇA, eu gostei bastante da ideia também! Acho que podemos criar grandes posts mesmo!

TATIANE, acho que o termo "não ter oportunidade" é meio incoerente. Os livros desse autor, bem como as obras adaptadas de seus livros, estão superacessíveis. Recomendo que

DAN MOURA, conhece alguns contos dele?! Interessante. Conheço contos de extrema força, que são tão ótimo quanto muitos excelentes livros. Quais já leu?

Luís

Fotograma Digital disse...

Eu gostei de Carrie ... embora tenha lido o livro bem depois de ter visto o filme.

Blogueira disse...

Não conheço, mas achei seu blog legal.
Divulga mais ele.

kbritovb disse...

ja ouvi falar mto mas não conheço tanto o trabalho dele, vo tentar me aprofundar mais

Luís / Renan disse...

NJLO, como assim "não ter nenhum comentário acerca do meu blog"? Não entendi isso. King é ótimo mesmo, um dos melhores. O Iluminado e Carrie são realmente grandes obras. Verei o seu blog.

CANTO DO LUFA, eu realmente acho que você deve ler algo, pelo menos para experimentar. Que coincidência, hein. Você, King e a árvore comemoram no mesmo dia.

BRUNO, embora eu adore, eu tenho poucos livros. Desses quatro que você disse que não leu, eu sugiro com veemência que leia Eclipse Total. Tentarei ler os três que você leu. Eu tentei ler A Torre Negra, mas parei no meio do primeiro, porque não me identifiquei com a história.

CIÇA, eu acho que a nossa resenha ficou muito boa. Eu não tenho todos esses livros, quem me dera! A maioria eu peguei na biblioteca. Concordo que King seja rei. Sobre À Espera de um Milagre, eu não li o livro inteiro.

DANIEL, como não sabia?! Nós deixamos um comentário avisando-o de que o indicaríamos a um selo! King é um mestre mesmo!

ANA LÚCIA, SK é realmente muito bom. Obrigado pelo elogio à postagem.

WANDINHA, você tem que ler algo de Stephen King. Essa é auma experiência que todos deveriam conhecer. Recomendo que comece por um livro mais light, como Carrie.

RUBRA, qual livro leu? Com essa "liberdade de acesso", acho que você poderia buscar mais livros dele para ler.

DANIEL, achamos importante responder a que os leitores comentam. Eu disse aquilo sobre o seu blog porque penso exatamente aquilo. Percebo que temos o que aprender um com o outro, então!

ALEXANDRE, qual livro do King você leu?

MARCELO, obrigado pelo elogio. Eu conheço a obra "A Tempestade do Século", mas se trata, na verdade, de um roteiro de filme que, posteriormente ao lançamento do filme, foi transformado em livro. Eu já vi o filme e gostei bastante. Conheço A Dança da Morte também; eu tenho os DVDs da minissérie lançada nos EUA. Tem 6 horas de duração! Sobre Elipse Total, recomendo que leia. Vale muito a pena. Há um filme também, com Kathy Bates, a mesma atriz que interpretou Annie Wilkes, outra personagem de outro livro de SK.

FERNANDA, eu gostaria de saber quais livros você leu. Acho estranho que eles te entretiveram, mas você nem sequer optou por dizê-los.

CORLEONE, se Deus fosse escritor, seus romances poderiam ser mais chatinhos.

PEDRO, eu lembro que gostei bastante de A Incendiária, mas faz muito tempo que li. Sobre o filme, eu sei que existe, mas nunca encontrei em nenhum catálogo de locadora. Vou conversar com o Renan sobre a ideia, porque a achei bem interessante.

ALEXANDRE, ler um é melhor do que não ler nada. Uma pena que alguns filmes sejam tão ruins... Me diga o que achou de Carrie.

NINA, eu também li vários, como você pode perceber, mas o nome do livro que você quis citar, na verdade, é apenas O Cemitério. Eu não sabia sobre essa história a respeito de It, mas é legal saber. Sim, venha aqui mais vezes!

CIÇA, eu gostei bastante da ideia também! Acho que podemos criar grandes posts mesmo!

TATIANE, acho que o termo "não ter oportunidade" é meio incoerente. Os livros desse autor, bem como as obras adaptadas de seus livros, estão superacessíveis. Recomendo que

DAN MOURA, conhece alguns contos dele?! Interessante. Conheço contos de extrema força, que são tão ótimo quanto muitos excelentes livros. Quais já leu?

ALEXANDRE, ainda bem que o filme não é ruim. Pelo menos, ele fez com que você quisesse ler a obra que o originou. Isso não ocorre com frequência... quem vê Christine, por exemplo, jamais vai querer ler o livro, tendo por base aquilo que viu no filme.

BLOGUEIRA, fiquei impressionado com a sugestão. (ironia)

KBRITOVB, todos já ouviram falam muito. E todos deveriam se aprofundar mais.

Luís

Jessica disse...

Adoro todos os filmes dele, mesmo sendo sendo sempre exagerados, é gostoso levar alguns sustos :)